São Charbel

Prev1 of 2
Use your ← → (arrow) keys to browse

sao-charbel
 

1- Origem

Veja também

São Charbel Makhlouf,foi beatificado no dia 5 de dezembro de 1995 e canonizado no dia 9 de outubro de 1997.Foi o primeiro confessor do Oriente venerado de acordo com o procedimento da Igreja Católica Apostólica Romana.

Era Libanês, membro da Ordem Libanesa Maronita e filho da Igreja Maronita. São Charbel nasceu no dia 8 de maio de 1828,numa aldeia chamada Beqa’Kafra, situada a 1.600 metros de altitude, situada nas proximidades dos Cedros do Líbano.Era o quinto filho do casal Antun Zarour Makhouf e Brígida Al-Chidiac,batizado com o nome de Youssef (José). Sua família era modesta mas muito respeitada. Seu pai era camponês, tinha uma fé sólida e inabalável.Sua mãe era igualmente piedosa.Com três anos,perdeu o pai que foi requisitado pelo exército otomano(turco)para trabalhos forçados.

Youssef vai em companhia de outras crianças a escola paroquial da aldeia. Era muito piedoso pois toda noite, como na maioria das famílias maronitas, ajoelhava-se em voltada mãe e repetia preces, enquanto o incenso queima num prato sobre um altarzinho, suspenso à parede onde Nossa Senhora ocupa lugar central.

2-Vocação Monástica

Desde pequeno Youssef mostrou tendência para a devoção e meditação.Muitas vezes abandonava os colegas e retirava-se para rezar numa gruta.Depois já adolescente, no inverno, com neve cobrindo tudo, Youssef ajudava a mãe a cozer o pão libanês que se fazia em casa. Mas quando a primavera chegava, Youssef levava a vaca e os cordeiros a pastarem. Ajudava também seu tio paterno, Tanios , nos trabalhos da lavoura, sobretudo a cultivar as amoreiras para criar o bicho da seda.Assim, Youssef trabalhava, ao mesmo tempo em que aprendia a ler e escrever.Mas seu coração não estava nestas tarefas, e sim em pedir a Virgem Maria que o ajudasse a se tornar um monge.

Aos 23 anos, apesar da afeição de sua mãe por ele, da oposição de seu tio que precisava de braços para a lavoura, da solicitação de uma jovem vizinha, Míriam, que, apaixonada, queria casar-se com ele, decide abraçar a vida monástica. Em 1851, sem avisar ninguém,se apresenta no mosteiro de Nossa Senhora de Mayfouq da Ordem Libanesa Maronita. Fez seu primeiro ano de noviciado e escolheu o nome religioso de “Charbel”, em honra a São Charbel , martirizado no Oriente Médio em 121 de nossa era.

Terminado o primeiro ano de noviciado,o irmão Charbel foi enviado ao mosteiro de S.Marun de Annaya para seu segundo ano de provação. É neste mosteiro que o padre Charbel viveria e seria sepultado. Durante o noviciado o noviço deve cantar o Ofício sete vezes por dia e em aramaico, língua falada por Jesus. Além disso, deve desempenhar trabalhos domésticos do mosteiro como lavar a roupa, fazer o pão, cultivar a terra etc…Em1853 ,com 25 anos, ele fez sua profissão monástica ou seja os votos de pobreza, castidade e obediência.

3- Ordenação Sacerdotal

Já professo, Charbel foi enviado ao mosteiro de São Cipriano em Kfifan, que na época era o Seminário de Teologia da Ordem Libanesa Maronita.

Neste mosteiro foi aluno de nosso novo beato Padre Nimatullah Al-Hardini, na Teologia e na santidade. Em todas as matérias, o irmão Charbel sempre esteve entre os primeiros estudantes. Charbel foi ordenado sacerdote em 23 de julho de1859,em Bekerké, sede patriarcal maronita.

Voltou ao mosteiro de São Marun de Annaya, onde viveu vida comunitária até retirar-se para a vida de eremita.

4-Vocação de Eremita

Na tradição monástica oriental, a vida monástica atinge o auge numa vida solitária.”Estará sós com o único.” A vida comunitária era um períodode transição ou de formação para a vida de eremita.O padre Charbel sentia vocação para a vida solitária.Solicitou autorização para retirar-se a um eremitério. Depois de muita insistência, e após a comprovação da dita vocação por parte do superior da Ordem, foi-lhe concedida a autorização de viver num eremitério. Segundo as normas da Ordem Libanesa Maronita, o eremita permanece sob a jurisdição do superior de seu convento, fazendo parte da comunidade, e sua vida é das mais austeras.

Como foi a comprovação para a vida de eremita do Padre Carbel? Conta o servente Saba Mussa, que sobreviveu ao Padre Charbel,o seguinte fato:

Um dia,o Padre Charbel levou sua lâmpada à cozinha, a fim de se abastecer de azeite. Os serventes, querendo zombar do humilde monge, encheram a lâmpada de água. Padre Charbel, agradece e se recolhe a sua cela e acende a lâmpada, e ela permanece acesa. Os serventes ficaram observando.Ao ver a luz acesa na cela do santo, perturbaram-se e correram a relatarão fato ao superior. Esse vai à cela e verifica que, de fato, a lâmpada está acesa, mesmo contendo só água.

No dia seguinte, o Padre Charbel recebeu autorização para ocupar no cemitério dos Santos Pedro e Paulo, que pertence ao mosteiro de Annaya, a cela do padre Eliseu Kassab Al-Hardini, irmão do nosso beato Nimatullah, que acabava de morrer. Então, o Padre Charbel tornou-se eremita em 15 de fevereiro de 1875. É um cemitério situado a 1.400 metros de altitude,e foi construído no ano de 1798.

Sua cela tinha seis metros quadrados. Tinha um colchão de folhas de carvalho, uma lâmpada de azeite, um prato de madeira sobre um banquinho, uma pedra que serve de cadeira e os livros de preces.Os dias de um eremita são divididos entre preces e meditações. Dorme cinco horas por dia, para passar o resto do tempo rezando. O eremita maronita tinha uma refeição às14:00 horas, que é composta por comida simples, legumes, cereais e azeitonas. Esta refeição é entregue pelo convento.Padre Charbel dizia:”A pobreza favorece a salvação.”

5-Morte

No dia 16 de dezembro se 1898,às 11:00 horas, o eremita Padre Charbel celebrava a santa missa na capela do cemitério quando foi atacado de paralisia no momento da Grande Elevação. A agonia durou 8 dias; morreu no dia24 de dezembro de 1898, aos 70 anos de idade.Foi enterrado no cemitério do convento de São Marun de Annaya.

Prev1 of 2
Use your ← → (arrow) keys to browse

Deixe uma resposta