Natal dos Paraenses: Romaria fluvial terá 500 embarcações

natal-dos-paraenses-romaria-fluvial-tera-500-embarcacoes

Neste sábado (13), os devotos da Virgem de Nazaré seguirão em romaria fluvial. A 27º edição do chamado “Círio das Águas”, deverá sair às 9h, logo após a missa que será celebrada no Trapiche de Icoaraci.

Após mais de três horas de romaria rodoviária de Ananindeua até Icoaraci, o Círio Fluvial seguirá pelas águas da Baía de Guarajá, que cerca a capital paraense, revelando que a devoção à Maria, mãe de Jesus, também faz parte da realidade dos ribeirinhos da Amazônia. Embarcações de todos os tamanhos são preparadas com ornamentações e homenagens a Imagem Peregrina, destacando a fé católica e a devoção mariana.

Para este ano, a estimativa da Capitania dos Portos (repassada ao DIEESE/PA) é de que cerca de 500 embarcações participem da romaria, o que representará um crescimento de cerca de 900,00 % por cento desde a primeira romaria das águas, em 1986.

As estimativas do DIEESE/PA e da Diretoria da Festa de Nazaré é que aproximadamente 50 mil pessoas, entre as que estarão nos barcos participando diretamente da romaria fluvial e as que estarão assistindo, desde a saída de Icoaraci até a chegada, na Estação das Docas, na Escadinha do Cais do Porto.
Antes de a Imagem sair novamente em procissão, na moto romaria, a Virgem é recebida com Honras de Chefe de Estado por um grupamento de Cadetes da Polícia Militar. A ocasião se repete desde 1999, motivada pela Lei Estadual nº 4.371, de 15 de dezembro de 1971, que proclamou a Virgem de Nazaré, Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia e merecedora dessa grande homenagem.
História – Esta é a 27ª edição da Romaria Fluvial. A primeira edição foi realizada pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur), com saída do Trapiche de Icoaraci no dia 8 de outubro de 1986. O responsável foi o presidente da Paratur à época, o historiador Carlos Rocque. A primeira romaria foi acompanhada por cerca de 50 barcos.
Até 2002, a Imagem Peregrina seguia na terceira réplica da berlinda, que no ano seguinte, foi substituída por uma cúpula de vidro, que permitiu melhor visibilidade da imagem pelos romeiros. Já em 2009, a Santa ganhou uma nova cúpula de vidro para o Círio Fluvial, pois a antiga foi doada à Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, por ocasião da Festa de Nazaré, realizado no Rio de Janeiro. (DOL, com informações de assessoria).

2 Responses

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: