Reformadores protestantes honravam Maria

reformadores-protestantes-honravam-maria
reformadores-protestantes-honravam-mariaO sentimento anti-mariano quepresenciamos entre os protestantes não faz parte do verdadeiro ideal daReforma, mas surgiu pelo falso receio de que o ”brilho” de Maria pudessesombrear ou apagar a verdadeira Luz, que é Jesus Cristo. Graças a Deus, hojepodemos enxergar mudanças em alguns fiéis e teólogos evangélicos,reconhecendo o verdadeiro sentido e valor da Santa Mãe de Deus, tal comodefende a Igreja Católica. As citações abaixo, feitas por Lutero e Calvino,reais fundadores do Protestantismo, e outros teólogos sérios, denotam overdadeiro respeito, carinho e amor que todo cristão deve nutrir pela Mãe deJesus:

”Quem são todas as mulheres, servos, senhores, príncipes,reis, monarcas da Terra comparados com a Virgem Maria que, nascida de descendênciareal (descendente do rei Davi) é, além disso, Mãe de Deus, a mulhermais sublime da Terra? Ela é, na cristandade inteira, o mais nobre tesourodepois de Cristo, a quem nunca poderemos exaltar bastante (nunca poderemosexaltar o suficiente), a mais nobre imperatriz e rainha, exaltada e benditaacima de toda a nobreza, com sabedoria e santidade.”

(Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”, cf.escritora evangélica M. Basilea Schlink, revista ”Jesus vive e é o Senhor”).

”Por justiça teria sido necessário encomendar-lhe [paraMaria] um carro de ouro e conduzi-la com quatro mil cavalos, tocando a trombetadiante da carruagem, anunciando: ‘Aqui viaja a mulher bendita entre todas asmulheres, a soberana de todo o gênero humano’. Mas tudo isso foi silenciado; apobre jovenzinha segue a pé, por um caminho tão longo e, apesar disso, é defato a Mãe de Deus. Por isso não nos deveríamos admirar, se todos osmontes tivessem pulado e dançado de alegria.”

Veja também

(idem, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink,revista ”Pergunte e Responderemos” nº 429).

”Ser Mãe de Deus é uma prerrogativa tão alta,coisa tão imensa, que supera todo e qualquer intelecto. Daí lhe advém toda ahonra e a alegria e isso faz com que ela seja uma única pessoa em todo o mundo,superior a quantas existiam e que não tem igual na excelência de ter com o PaiCeleste um filhinho comum. Nestas palavras, portanto, está contida toda a honrade Maria. Ninguém poderia pregar em seu louvor coisas mais magníficas, mesmoque possuísse tantas línguas quantas são na terra as flores e folhas noscampos, nos céus as estrelas e no mar os grãos de areia.”

(idem, cf. escritora evangélica M. Basilea Schlink,revista ”Jesus vive e é o Senhor”)

”Peçamos a Deus que nos faça compreender bem as palavrasdo Magnificat… Oxalá Cristo nos conceda esta graça por intercessãode sua Santa Mãe! Amém.

(Martinho Lutero, ”Comentário do Magnificat”).

”O Filho de Deus fez-se homem, de modo a ser concebido doEspírito Santo sem o auxílio de varão e a nascer de Maria pura, santae sempre virgem.

(Martinho Lutero, ”Artigos da Doutrina Cristã”)

”Maria é digna de suprema honra na maior medida.”

(”Apologia da Confissão de Fé de Augsburg”, art. IX).

”Um só Cristo, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, nascidoda Virgem Maria.”

(idem)

”Não podemos reconhecer as bênçãos que nos trouxe Jesus,sem reconhecer ao mesmo tempo quão imensamente Deus honrou e enriqueceu Maria,ao escolhê-la para Mãe de Deus.”

(João Calvino, Comm. Sur l’Harm. Evang.,20)

”Firmemente creio, segundo as palavras do Evangelho, queMaria, como virgem pura, nos gerou o Filho de Deus e que, tanto no partoquanto após o parto, permaneceu virgem pura e íntegra.”

(Zwinglio, em ”Corpus Reformatorum”)

”Creio que [Jesus] foi feito homem, unindo a natureza humanaà divina em uma só pessoa; sendo concebido pela obra singular do EspíritoSanto, nascido da abençoada Virgem Maria que, tanto antes como depois dedá-lo à luz, continuou virgem pura e imaculada.”

(John Wesley, fundadador da Igreja Metodista, em cartadirigida a um católico em 18.07.1749)

”Ao ler estas palavras de Martinho Lutero [em ”Comentáriodo Magnificat”], que até o fim de sua vida honrava a mãe de Jesus, quesantificava as festas de Maria e diariamente cantava o Magnificat, se percebe quãolonge nós geralmente nos distanciamos da correta atitude para com ela, comoMartinho Lutero nos ensina, baseando-se na Sagrada Escritura. Quãoprofundamente todos nós, evangélicos, deixamo-nos envolver por uma mentalidaderacionalista, apesar de que em nossos escritos confessionais se lêem sentençascomo esta: ‘Maria é digna de ser honrada e exaltada no mais alto grau’.

Página 1

Deixe uma resposta