O católico pode ou não comemorar o carnaval?

Não há nada que comprove que a igreja seja contra o carnaval, apenas a igreja católica pede para que os fiéis evitem lugares que possam cometer pecado, ou seja, lugares pecaminosos.

Os católicos criaram essa data que era considerada a semana da carne, ou seja, onde ficavam 4(quatro) dias comendo carne, daí surgiu a palavra “Carnevale”, que era a famosa festa da carne. Portanto, o surgimento da palavra carnaval veio daí, pela própria igreja.

Bom, aí vem a dúvida se o católico pode ou não comemorar o carnaval? Qualquer pessoa, seja ela católica ou não, pode participar de qualquer comemoração festiva, desde que se mantenha sem cometer pecado, isso na visão da igreja católica.

Por que considerado pecado?

Para a igreja católica, o carnaval, por ser uma festa comemorativa com músicas animadas e festivas, podendo levar os fiéis ao pecado. Considerado por muito tempo uma festa onde eram capazes de cometer vários pecados, inclusive ao pudor. Mas ela sempre existiu, tanto que nosso calendário é baseado no cálculo da sexta-feira santa, através do carnaval, então, talvez por isso não tenha nada que proíba essa festividade, essa data.

E pecado seria atiçar o demônio, como a própria igreja falava. Mas para isso não é preciso só do carnaval, né?

Comemorações eram feitas desde sempre, pessoas sempre expostas ao pecado, seja ela ao pudor, da inveja, da luxúria e por aí vai. Só que hoje em dia ficou tudo muito banalizado. O que realmente era para ser uma festa para alegria do povo, passou a ser uma festa que não alegra nem um pouco aos olhos de quem a vê.

Afinal, católico pode ou não comemorar o carnaval?

Católico pode participar de qualquer festa que queira desde que não faça mal a ninguém e não caia no pecado da carne, como a própria igreja católica diz. Só que nem sempre o que aos olhos da igreja é pecado, para o fiel ele será um pecador.

Carnaval é uma festa do povo, da rua, mas com a banalização e o aumento da criminalidade, ficou muito difícil comemorar e se divertir como era antigamente.

Antes, as famílias se reuniam e comemoravam todos juntos, era algo alegre, de rir, mas hoje as pessoas, sejam elas católicas ou não, não possuem mais paciência para nada. Vivem num estresse total, numa impaciência, sem amor ao próximo. Tudo é motivo para desrespeito.

A igreja católica acha que é pecado apenas o da carne, a tentação do corpo. Mas vamos levar em conta que pecado mesmo é ver as pessoas se agredindo umas às outras, seja agressão física ou corporal. Pecado mesmo é mentir para ganhar vantagens no que quer, é não respeitar pai e mãe, é não respeitar qualquer pessoa. É ter guerra.

Pecado mesmo é sair por aí roubando e tirando vidas de pessoas como se fosse Deus. É viver no mundo das drogas, bebidas e destruindo famílias com a venda das mesmas. Isso sim é pecado.

Essa banalização toda que se formou em volta do carnaval é que deve ser considerado pecado, porque virou uma generalização de comércio de corpos, bebidas e afins, que hoje em dia quase ninguém mais tem vontade de se divertir.

E não é nem um julgamento, é uma constatação de todos os anos, como se a cada ano o carnaval perdesse aquela alegria e virasse um comércio somente.

Que bom se todas as religiões pudessem se juntar e participar do carnaval como uma festa alegre, bonita, divertida, mas infelizmente nesse quesito as religiões ficam de fora, pois é o próprio ser humano que faz com que cada dia a vida se torne um verdadeiro pecado, que é o de não viver livremente!

 

Deixe seu comentário